Card image
Competições
Barrichello acerta estratégia e vence corrida dois em MS

4 Minutos de leitura

  • Publicado: 11/08/2019
  • Atualizado: 11/08/2019 às 17:43
  • Por: Leonardo Marson

Rubens Barrichello venceu neste domingo (11) a segunda corrida da sexta etapa da Stock Car, disputada no Autódromo Internacional Orlando Moura, em Campo Grande (MS). O piloto da Full Time optou por uma estratégia de priorizar a segunda corrida da prova no circuito sul-matogrossense, que triunfou pela terceira vez na atual temporada, sempre na segunda corrida.

Rubens Barrichello
Barrichello venceu pela terceira vez na temporada. (Foto: Duda Bairros)

A segunda posição ficou Ricardo Maurício, piloto da Eurofarma RC que tentou um último ataque sobre Barrichello na volta final, sem sucesso. O pódio foi completado por Gabriel Casagrande, piloto que defende a Crown Racing. Felipe Fraga, com um carro da Cimed Racing, ficou com a quarta colocação, enquanto Daniel Serra, companheiro de equipe de Ricardinho, completou a lista dos cinco primeiros.

Você conhece o canal da RACING no YouTube? Clique e se inscreva!

Guga Lima fechou a corrida na sexta colocação com um carro da Vogel, e foi seguido por Átila Abreu, que precisou fazer uma corrida de recuperação após largar do final do pelotão com o equipamento da Shell V-Power. Diego Nunes terminou em oitavo com o carro da KTF Sports, sendo seguido por Max Wilson, piloto da Eurofarma RCM que foi o nono. Lucas Foresti, da Vogel, fechou o top-10.

LEIA MAIS:
Camilo impede ataque de Campos e vence em Campo Grande

A corrida contou com suas intervenções do Safety Car. Na primeira, em um acidente na décima volta, Denis Navarro escapou da pista, e Cesar Ramos dividiu a última curva do circuito com Nelsinho Piquet e Valdeno Brito. O piloto da Blau Motorsport tentou tomar a linha próxima da mureta que divide boxes de pista, e acabou coletando o piloto da Prati-Donaduzzi. Depois, Pedro Cardoso e Bia Figueiredo se encontraram na pista.

A próxima etapa da Stock Car acontece no dia 25 de agosto, com a disputa da Corrida do Milhão, prova marcada para o Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP).

Confira como foi a corrida

A prova começou com Marcos Gomes, piloto da KTF Sports, mantendo a primeira colocação nos metros iniciais, enquanto Allam Khodair, da Blau Motorsports, que tentou tomar a primeira colocação, acabou ultrapassado por Ricardo Maurício, enquanto Daniel Serra, companheiro de Ricardinho na Eurofarma RC, apareceu em quarto, seguido por Max Wilson, da Eurofarma RCM.

Serra começou a avançar no pelotão, superando Maurício e Khodair para tomar a segunda posição. O piloto do carro número 18 também foi superado pelo do 90, despencando para o quarto posto. Outro que passou por Khodair foi Felipe Fraga, que entrou no grupo dos cinco primeiros na quinta volta. No giro seguinte, Galid Osman rodou após um toque de Cesar Ramos, perdendo posições.

Na oitava volta, Bia Figueiredo avançou para a sétima posição ao superar Julio Campos. Um pouco mais atrás, quem começou a avançar foi Rubens Barrichello, que tomou a oitava colocação ao deixar para trás Gabriel Casagrande e Campos. O veterano ainda se aproveitou de uma disputa de posições entre Bia e Khodair para tomar o sexto posto da corrida na “cidade morena”.

Maurício deixou Serra para trás na décima volta, assumindo a segunda posição da prova. Na sequência, um acidente mais forte aconteceu quando Denis Navarro escapou da pista e, poucos metros depois, Cesar Ramos se aproximou do muro da reta dos boxes tendo ao lado Nelsinho Piquet, e atingiu Valdeno Brito. Os dois bateram e o Safety Car precisou ser acionado pela primeira vez na corrida.

A corrida recomeçou na volta 14, com a janela de paradas nos boxes sendo aberta. Somente neste momento que Khodair foi punido por queima de largada. Serra, Barrichello, Casagrande, Khodair, Bia, Guga Lima, Diego Nunes, Pedro Cardoso e Cacá Bueno foram os primeiros a visitarem os boxes na segunda corrida da sexta etapa da temporada.

Na volta 15, foi a vez de Gomes, Bruno Baptista, Campos, Ricardo Zonta, Rafael Suzuki, Camilo e Khodair pararem. A KTF, porém, perdeu tempo na troca de pneus do carro de Marquinhos. Galid Osman, por sua fez, rodou ao pisar na parte suja da pista, mas seguiu na prova. Maurício, Fraga, Átila, Max e Lucas Foresti pararam na volta 16. Os últimos a parar nos boxes foram Piquet e Navarro.

Após a rodada de paradas nos boxes, a lista dos cinco primeiros apontava Barrichello na liderança, seguido por Baptista, Maurício, Casagrande e Fraga. Rafael Suzuki abandonou a disputa com problemas no carro preparado pela Hot Car. O Baptista, porém, foi punido por queima de largada, sendo avisado apenas na volta 18. Pouco depois, Casagrande passou por Maurício para tomar a terceira posição.

Maurício recuperou a posição ao superar Casagrande e Baptista na mesma manobra. O Safety Car foi acionado pela segunda vez após um incidente entre Pedro Cardoso e Bia Figueiredo, com a piloto da Ipiranga Racing chamando o estreante na temporada da mais importante categoria do automobilismo brasileiro de “maluco” após deixar o carro na área de escape.

Houve a relargada para apenas uma volta, com Maurício tentando um ataque sobre Barrichello, sem sucesso. O piloto da Eurofarma RC precisou se defender da pressão de Casagrande, que por sua vez teve que suportar a um ataque de Fraga. Barrichello seguiu para vencer a prova.