Responsive Menu
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Valtteri Bottas

Bottas toma liderança na largada e vence o GP da Austrália

Autor: Leonardo Marson


Valtteri Bottas venceu neste domingo (17) o Grande Prêmio da Austrália, prova que abriu a temporada 2019 da Fórmula 1. O finlandês da Mercedes partiu da segunda posição no circuito de Albert Park, em Melbourne, mas ainda nos metros iniciais tomou a liderança, superando Lewis Hamilton. A partir daí, o que se viu foi o dono do carro número 77 abrir vantagem ao longo das 58 voltas da prova para triunfar pela quarta vez na carreira.

O resultado no Albert Park foi importante para o finlandês, já que representou a primeira vitória desde o Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2017. O nórdico, que passou a temporada 2018 sem vencer uma corrida sequer, ainda registrou a volta mais rápida da corrida, com 1min25s580, o que lhe garantiu mais um ponto no campeonato, uma das novidades da temporada.

A segunda posição ficou com Lewis Hamilton, que em momento algum foi capaz de duelar com Bottas pela vitória. Além disso, o inglês da Mercedes se viu obrigado a reagir a uma parada nos boxes de Sebastian Vettel ainda no início da prova. O pódio foi completado por Max Verstappen, piloto da Red Bull que largou em quarto e tomou o terceiro posto do alemão da Ferrari. O resultado representa a melhor posição da Honda desde que os japoneses retornaram à Fórmula 1.

Vettel finalizou a corrida na quarta colocação, depois de ver Charles Leclerc, seu companheiro de equipe, se aproximar muito nas voltas finais da prova, mas sem conseguir lutar pelo posto do alemão. O monegasco foi o quinto, chegando à frente de Kevin Magnussen, sexto com a Haas. Nico Hülkenberg levou a Renault ao sétimo lugar, enquanto Kimi Räikkönen foi o oitavo com a Alfa Romeo. Lance Stroll, com a Racing Point, e Daniil Kvyat, da Toro Rosso, fecharam o top-10.

A Fórmula 1 realiza sua segunda etapa no dia 31 de março, com a realização do Grande Prêmio do Bahrein, prova que acontece no Circuito Internacional do Bahrein, em Sakhir.

Confira como foi o GP da Austrália de Fórmula 1

A largada do Grande Prêmio da Austrália teve Valtteri Bottas superando Lewis Hamilton nos metros iniciais para tomar a primeira posição. Sebastian Vettel foi atacado por Charles Leclerc, mas o monegasco acabou ficando com a quinta posição, sem superar nem o companheiro de equipe, nem Max Verstappen. Mais atrás, Daniel Ricciardo danificou a asa dianteira de sua Renault ao passar por um calombo na grama.

No complemento da primeira volta, Ricciardo e Robert Kubica, que perdeu a asa dianteira após um toque com George Russell, seu companheiro de Williams, foram aos boxes. Na frente, Vettel tentou se aproximar de Hamilton, mas o pentacampeão logo começou a abrir vantagem sobre o piloto da Ferrari, mas sem conseguir encostar em relação a Bottas, que com seis voltas possuía dois segundos de frente.

Quinto colocado, Leclerc escapou no primeiro setor do circuito de Albert Park na nona volta. Dois giros depois, Carlos Sainz abandonou a prova por conta do estouro do motor Renault de sua McLaren. O MCL34 do espanhol chegou a sofrer um princípio de incêndio, que logo foi apagado pelos fiscais de pista. Na 12ª volta, Kimi Räikkönen foi aos boxes com a Alfa Romeo, abrindo a rodada de trocas de pneus.

Nico Hülkenberg parou nos boxes com a Renault na 13ª volta, enquanto Vettel trocou pneus no giro seguinte, colocando os médios. Hamilton, por sua vez, fez seu pit stop no 15º giro, e passou a ter os pneus de banda amarela, enquanto Romain Grosjean fez o mesmo, mas a Haas demorou para trocar o pneu dianteiro esquerdo, fazendo o francês perder tempo.

Mesmo sem fazer a troca de pneus, Bottas seguiu mais rápido que Hamilton e Vettel, abrindo vantagem sobre os rivais. Mais atrás, Antonio Giovinazzi cometeu um erro e perdeu posições para Magnussen e Hülkenberg. O líder da prova finalmente foi aos boxes na 23ª volta, colocando os pneus médios, retornando à frente de Hamilton. A liderança da prova, porém, passou para as mãos de Verstappen, que não tinha visitado os boxes.

O holandês da Red Bull foi aos boxes na 25ª volta, colocando pneus médios e retornando na quinta posição. Hamilton, via rádio, passou a questionar a Mercedes se conseguiria completar a corrida com apenas uma parada nos boxes. Leclerc seguia na pista com os mesmos pneus com que largou, mas além de não conseguir se aproximar de Bottas, viu Hamilton se aproximar. Percebendo isso, o monegasco foi aos boxes no 28º giro.

Com pneus mais novos e mais combativo, Verstappen passou a atacar Vettel pela terceira colocação na 30ª volta, e tomou a posição no giro seguinte. Daniel Ricciardo abandonou a prova após 31 voltas, e Romain Grosjean deixou a disputa na passagem seguinte com a roda dianteira esquerda, a mesma que deu problema na parada nos boxes, solta em sua Haas.

Após 35 voltas, Bottas tinha uma vantagem mais do que confortável em relação a Hamilton: 18s7. Mais do que isso, o finlandês ampliava a vantagem a cada volta, enquanto o inglês passou a se preocupar com a aproximação de Verstappen, que tinha pneus mais novos. Pierre Gasly, que largou apenas da 17ª posição com a Red Bull, seguia sem fazer seu primeiro pit stop na prova.

Daniil Kvyat escapou para a brita ao tentar superar Lance Stroll na 38ª volta, perdendo tempo para retornar à pista. No mesmo giro, Gasly finalmente foi aos boxes para sua parada, colocando os pneus macios, uma vez que largou com os médios. Vettel passou a ver Leclerc se aproximar aos poucos. O monegasco tinha pneus mais novos em relação ao alemão.

Mesmo com pneus mais desgastados em relação a Verstappen, Hamilton conseguia manter a vantagem sobre o holandês na casa de 1s5. O mesmo não acontecia com Vettel, que viu Leclerc se aproximar de vez restando dez voltas para o final da corrida. Na 49ª volta, Verstappen escapou da pista, e viu a vantagem de Hamilton subir para a casa de três segundos.

Leclerc se aproximou de Vettel na 52ª volta da prova, mas sem condições de atacar o companheiro de equipe Ferrari. Na frente, Bottas perguntou a Mercedes se poderia ir aos boxes e colocar pneus mais novos para fazer a volta mais rápida – algo que ele já tinha. A equipe, porém, não autorizou o finlandês a visitar os boxes. Verstappen, na 55ª volta, fez o melhor giro da prova com 1min26s540.

Na penúltima volta da prova, Bottas marcou 1min25s580, tomando a melhor volta da corrida. O finlandês seguiu para vencer o Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1.

Foto: Getty Images


Racing Online

Racing Online

error: Conteúdo protegido!