Responsive Menu
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

O amor está no ar

Autor: Chico Lelis


A preocupação com o Meio Ambiente, por parte de uma empresa, não pode se concentrar apenas em produzir veículos cada vez menos poluentes mas também com tudo que cerca este tema. Buscar formas para evitar a extinção de animais e de cuidar da água que corre grande risco no planeta, são algumas outras obrigações de quem está preocupado com o Meio Ambiente.

E, neste aspecto, a Toyota vem cumprindo fielmente esta meta. Fabrica carros menos poluentes e ajuda a natureza na sua luta interminável contra a ação do ser humano, que destrói matas e mananciais esquecendo-se que a Natureza “cobra” estes danos.

O primeiro voo da montadora, no Brasil, neste trabalho de ajudar a Natureza a cuidar dos seus “bens” foi em Campo Grande (MS), quando conheceu o trabalho da bióloga Neiva Guedes, que lutava para evitar a extinção da Arara Azul.

Arara Azul

A ligação entre a Toyota e Neiva foi um Bandeirante que a bióloga usava nas suas incursões pelo Pantanal, no trabalho de catalogar e conhecer a ave que, em 1991, formava um grupo de apenas 500 indivíduos (como são classificadas). A fábrica a procurou e passou a apoiar seu trabalho – agora com quatro Hilux – que teve sucesso. Hoje, são cerca de 2.000 Araras Azuis voando pelo Pantanal.

Mas a coisa não parou por ai.

Recentemente foi verificado um fenômeno, também “incentivado” pelo homem, com seu poder de desmatamento. Araras de outras espécies, como a Canindé, por exemplo, se aproximaram da cidade em busca de alimento, que desapareceu na mata.

Como acontecera no pantanal, o Instituto Arara Azul instalou ninhos, mais de 200 deles, por toda Campo Grande que hoje é conhecida como a “Cidade das Araras”. E lá, as araras são protegidas pela população que se encanta com seus voos também por áreas urbanas.

Mas, as Araras Azuis continuam no seu principal habitat, a mata. Poucas chegam à cidade. Seguem visitando e se reproduzindo nos ninhos monitorados pelo Instituto. Isto porque a Arara Azul pode ser classificada como mais reservada. Enquanto as outras espécies reproduzem anualmente, gerando dois ou mais filhotes, a Azul se reproduz apenas uma vez a cada dois anos, raramente passando de um filhote. Quando acontece de gerar dois filhotes, um deles dificilmente chega à idade adulta. Isto explica os riscos de sua extinção que só diminuíram com a ação do Instituto Arara Azul, com a colaboração da Toyota.


Racing Online

Racing Online

error: Conteúdo protegido!